Deveras Prolixo

Falar pouco não é uma opção

Categoria: MIMIMI

O que me faz chorar

Hoje eu choro por todos os dias que não chorei. Choro por uma rinite que me ataca todos os dias, por passar mais tempo parada do que me movimentando, por não ser quem as pessoas acham que eu sou e por não ser quem eu achava que era. Choro porque hormônios.

Pessoas morrem. Pessoas passam fome. Pessoas se matam. Eu choro aqui na minha cama quente, escrevendo no notebook com um processador razoável e utilizando uma internet banda larga, diga-se de passagem, muito boa.

Imagem: http://www.oamul.com

Anúncios

Decisões

Hoje de manhã acordei decidida. A sua presença é tóxica e você nem existe. Preciso te desinventar.

Sabe aquele dia, eu te encontrei e você me disse que gostava de mim? Quando eu te inventei não era isso que queria ouvir. Você devia falar apenas as coisas que eu imaginava, você é criação minha.

Um dia, quando eu te esquecer, sua presença não vai me provocar mais repúdio e vou escrever um livro falando sobre o quanto eu te amava.

Desabafo

Eu estou cansada da vida. Cansada de ter que ser uma boa filha, uma boa amiga, uma boa amante, uma boa profissional, uma boa pessoa. Não há nada que me deixe mais cansada do que esperar pequenos gestos do outro para validar minha existência.

Tenho vivido esse pesadelo há muito tempo. Sou escrava de mim mesma e vivo para satisfazer a minha vontade de agradar aos outros. Não há nada que me deixe mais cansada do que ser eu.

– Não gostei…quer dizer…eu gostei, mas não gosto quando você escreve essas coisas.

– E eu vou escrever o que?

– Não sei. Você podia escrever uns contos eróticos, comédia, romance. Qualquer coisa menos isso.

– Mas você entendeu que não é BIOGRÁFICO? É só um texto. Avalia o texto e não o tema.

– Faz como você achar  melhor.

Não há nada que me deixe mais cansada do que esperar por pequenos gestos do outro para validar minha existência.

Geração

Você me machuca tanto com as suas palavras e nem se dá conta. Queria muito poder dizer que eu me sinto mal quando isso acontece, mas já disse outras vezes e não me ouviu.

Veja, eu sofro, eu mudei, eu não sou como antes, eu estou frágil como nunca, mas você não sabe porque não me vê. Pare! Não me diga essas coisas que machuca.

Você me pede calma, critica meu nervosismo, mas você não sabe o quanto é difícil ser a criatura quebrada criticada pelo criador todas as vezes que ele lembra que ela existe.

Angústia

Sentia um vazio no estômago, mas não conseguia comer  nada. Seus pensamentos eram irrepreensíveis e o coração batia insistentemente rápido. Pensava no quanto era desprezível sua existência e no quanto se enganou da sua utilidade para as pessoas que a cercavam.

Há muito tempo não se sentia como hoje. Uma angústia consumia a alma e pressentiu que havia algo errado com ela e com sua forma de amar. Pressentiu que seria abandonada à mercê dos seus pensamentos destrutivos.

Uma dor tão grande que para disfarça-la vestiu um sorriso apagado e sem vida e respondeu para quem quisesse ouvir: Está tudo bem!

Sentir de novo

Eram umas quatro da manhã. Tinha desistido de rolar na cama e chorava baixinho cansada de travar mais uma batalha com a insônia. Era sempre ela.

Na primeira vez que ela apareceu senti um certo orgulho, pois eu era a única que não reclamava de noites em claro. Nunca conseguira passar uma noite sem dormir.

Horas, dias, meses, dois anos. Há dois anos não dormia em paz e desejava muitas vezes o descanso eterno. Tentei a cura dos deuses, dos chás, da respiração profunda e de todas as mandingas homeopáticas disponíveis.

Três anos e uma vida parecia ter se passado. Tentei a cura das pílulas. Não tão sábias me provocaram as piores memórias. Dormir deixou de ser o objetivo e desisti.

Sentir de novo o que eu sinto agora é mágico. O torpor me abate e eu durmo. Obrigada por me fazer sentir de novo.

Sick brain Sick heart

“- Você não precisa ficar triste. Sua irmã,cachorro,mãe, pai, vizinho, amiga, professor, médico, pedreiro, faxineira passou por isso e não ficou triste.”

Não pergunta como eu estou, não me pergunta,não me pergunta… Não….não…. aff.
– Como você tá?- me pergunta sorrindo.
Eu falei pra não perguntar.
-Eu tô bem. – Quase não levantei da cama hoje, chorei não me olhei no espelho, não tomei banho e assisti 20 episódios da primeira temporada de Lost.
-Tchau.
Esqueci-me de perguntar: “e você?”. Nossa, ela pensa que eu sou grossa agora. Esse é o pior dia da minha vida.

Confissões do EU

Eu não sou muito de sofrer pelos outros. Eu sofro por mim mesma e consequentemente sofro muito mais do que se eu sofresse pelos outros.

O Eu é a pior pessoa que você quer conhecer e se importar. O Eu machuca a si mesmo, é suicida e depressivo. Todos os EUS são assim. Se o se EU não é assim é porque você não o conheceu ainda.

Nunca amei ninguém, mas sempre insisti em amar a mim mesma. Amar o Eu é uma puta roubada. O Eu é exigente demais para se conseguir amar, imperfeito demais e dramático demais, mas mesmo assim eu tento. Tento todos os dias amar essa pessoa que habita em mim.

Sempre quando eu acho que estou gostando de alguém vem o meu Eu me informar que ele não vai levar isso pra frente. Que é demais pra ele suportar uma decepção e alguém competindo com ele por atenção. Aos poucos meu Eu me convence que não mereço ser amada e nem amar ninguém que não seja Eu.

Dia desses Eu tentei convencer as pessoas do que o que elas sentem não é bem aquilo que elas pensam que sentem. Eu tentei dizer a elas que o que eu sinto é o certo e o que elas sentem é errado. O Eu é orgulhoso também.

O Eu sempre tem razão e eu sempre fico com a dor.

 

Verdade seja dita

Verdade seja dita, eu não gosto de mim.

Nossa, que desespero! Porém, eu tenho tentado gostar.

Esse é o post da aceitação. Eu me aceito como sou e vou tentar mudar, ou seja, amar a mim mesmo.

FAQ:

Por que escrever sobre isso? Porque eu quero.

Por que você não gosta de si? Se você me conhecesse talvez saberia a resposta.

Você é feliz? Depende do ponto de vista.