Deveras Prolixo

Falar pouco não é uma opção

Mês: setembro, 2016

Desabafo

Eu estou cansada da vida. Cansada de ter que ser uma boa filha, uma boa amiga, uma boa amante, uma boa profissional, uma boa pessoa. Não há nada que me deixe mais cansada do que esperar pequenos gestos do outro para validar minha existência.

Tenho vivido esse pesadelo há muito tempo. Sou escrava de mim mesma e vivo para satisfazer a minha vontade de agradar aos outros. Não há nada que me deixe mais cansada do que ser eu.

– Não gostei…quer dizer…eu gostei, mas não gosto quando você escreve essas coisas.

– E eu vou escrever o que?

– Não sei. Você podia escrever uns contos eróticos, comédia, romance. Qualquer coisa menos isso.

– Mas você entendeu que não é BIOGRÁFICO? É só um texto. Avalia o texto e não o tema.

– Faz como você achar  melhor.

Não há nada que me deixe mais cansada do que esperar por pequenos gestos do outro para validar minha existência.

Desentender

Desentendimentos.

Te desentendo, do verbo Não te entender.

Outro dia mesmo, estava ofegante quando ouvia minha voz e me abraçava,

não dormia sem dizer “boa noite”.

Não me entendo, do verbo Me desentender.

Dias atrás me sentia bem e vibrante,

respondia prontamente seu chamado e me voltava todo para você,

não havia um momento sem sua presença.

Desentendimentos.

 

Fim

Se me dissessem que hoje acabaria meu sofrimento

Me jogaria no chão em prantos.

Como pode meu interlocutor

Anunciar sem nenhum ensaio

Que hoje é o dia de minha morte?