Deveras Prolixo

Falar pouco não é uma opção

Mês: agosto, 2014

#1

Como assim não vai dar pra terminar hoje???

– Não vai dar e ponto.

Isso irritava Tico. Como trabalhar com prazos tão curtos e impossíveis? Isso mesmo, era impossível.

Já era a segunda noite mal dormida e ele pensava desesperadamente em tomar um calmante que tinha na gaveta há 3 meses para apagar por pelo menos por meio dia. Enquanto pensava nisso, passou na sua frente uma sombra e ela parou bem na sua frente. Sem levantar a cabeça, já sabia quem era, todas as reações químicas desencadeadas pela proximidade com o seu objeto de desejo começaram a acontecer numa velocidade tão grande que Tico engasgou.

Qual o problema? É o prazo de novo?

A sombra queria saber alguma coisa, mas Tico não verbalizava nenhum dos seus pensamentos e a sua cabeça fervia num diálogo fervoroso.

Tico?

-Depois a gente conversa.

As palavras saíram automaticamente. Como numa peça de teatro em que o ator ouve a “deixa” e responde num impulso o que tinha decorado anteriormente. Tico se arrependeu como das outras vezes pois tinha certeza que a maneira que a tratava dava a impressão que ele não sentia nenhum tipo de afeto e era o contrário. Todos os tipos de afeto se manifestavam com a presença dela.

Por um pequeno momento pensou deveria ir até ela e conversar, tomar um café no canto da sala. Por um momento maior pensou que não deveria e voltou a olhar a tela do computador como se estivesse encarando um abismo. Pularia?

 

Confissões do EU

Eu não sou muito de sofrer pelos outros. Eu sofro por mim mesma e consequentemente sofro muito mais do que se eu sofresse pelos outros.

O Eu é a pior pessoa que você quer conhecer e se importar. O Eu machuca a si mesmo, é suicida e depressivo. Todos os EUS são assim. Se o se EU não é assim é porque você não o conheceu ainda.

Nunca amei ninguém, mas sempre insisti em amar a mim mesma. Amar o Eu é uma puta roubada. O Eu é exigente demais para se conseguir amar, imperfeito demais e dramático demais, mas mesmo assim eu tento. Tento todos os dias amar essa pessoa que habita em mim.

Sempre quando eu acho que estou gostando de alguém vem o meu Eu me informar que ele não vai levar isso pra frente. Que é demais pra ele suportar uma decepção e alguém competindo com ele por atenção. Aos poucos meu Eu me convence que não mereço ser amada e nem amar ninguém que não seja Eu.

Dia desses Eu tentei convencer as pessoas do que o que elas sentem não é bem aquilo que elas pensam que sentem. Eu tentei dizer a elas que o que eu sinto é o certo e o que elas sentem é errado. O Eu é orgulhoso também.

O Eu sempre tem razão e eu sempre fico com a dor.

 

Vocês não sabem

 Não sabem o que sentem e nem o que estão fazendo. A ignorância mata!